quinta-feira, 3 de março de 2016

Sinais de Que a Sua Dieta Não é Boa

Dieta restritivaDietaDieta:Algo que a maioria das pessoas já sabe é que quem deseja perder os quilinhos em excesso e alcançar a boa forma, além de praticar exercícios físicos, precisa também aderir uma boa dieta.

Entretanto, é na hora de escolher um programa de alimentação que algumas pessoas podem errar, especialmente quando se focam em algum método que traga efeitos imediatos, mas que não promova a reeducação alimentar, fazendo com que a manutenção da forma se torne mais difícil a longo prazo.

Isso sem contar aquelas que são muito restritivas ou exigem que a pessoa passe horas na cozinha preparando as suas refeições e fazem com que obedecer a suas determinações se torne uma missão praticamente impossível.

Para não cair na armadilha de seguir uma dieta que não vá contribuir tanto assim é preciso prestar atenção em alguns sinais de que ela não é das melhores. Quais seriam esses sinais? É isso o que você confere na lista a seguir.

1. Ela muda drasticamente os seus costumes

Se você é daqueles que gosta bastante de um churrasquinho de vez em quando ou não dispensa o frango assado dos domingos, aderir a uma dieta vegetariana ou vegana provavelmente não é a melhor saída.

Isso porque ser obrigado a mudar radicalmente o cardápio das refeições que você já está acostumado a seguir há certo tempo não é apenas extremamente difícil como também pode fazer com que seguir esse tipo de dieta se torne um parto.

O mesmo serve para aqueles programas que exigem que a pessoa passe horas preparando as refeições em casa. Quem tem o dia a dia corrido e precisa se dividir entre as obrigações com a casa, a faculdade e o trabalho já sabe que certamente não terá tempo para cozinhar os pratos e não obedecerá as recomendações da dieta como deveria.

2. Ela corta grupos de alimentos da sua alimentação

Aqui nós não nos referimos àquelas dietas que cortam ou restringem o consumo de alimentos que conhecidamente não oferecem muitos benefícios e valor nutricional ao organismo como guloseimas, frituras e refrigerantes.

O problema principal está nos métodos que determinam a exclusão de um nutriente específico da alimentação, como os carboidratos, por exemplo. O perigo de dietas como essa é que os carboidratos têm a sua importância para o corpo, como ser uma das principais fontes de energia, poupar a utilização das proteínas para esse fim e contribuir para o funcionamento do sistema nervoso central.

Quando ele é cortado ou o seu consumo fica bastante restrito podem aparecer certos problemas de saúde como o aumento do risco de doenças cardiovasculares, caso a dieta também seja rica em proteínas. Isso foi verificado em uma pesquisa sueca. Além disso, a falta do nutriente afeta a capacidade de raciocínio e o humor.

Isso sem contar que se você estiver perdendo peso basicamente porque deixou de consumir carboidratos e não porque aprendeu a controlar as calorias e as porções das refeições, assim que voltar a ingerir o nutriente correrá sério risco de ganhar peso novamente.

3. Seus resultados demoram a aparecer

É simplesmente uma questão de motivação. Começar uma dieta diferente da qual se está habituado não é muito fácil, por isso é importante ser estimulado a continuar em frente com ela. Sendo assim, se o método escolhido demora muito para apresentar resultados, você pode acabar se sentindo desmotivado, achar que está fazendo tudo errado e desistir do regime no meio do caminho.
Isso não quer dizer que para ser boa uma dieta precisa fazer com que você perca cinco quilos em uma semana. Mas que pequenas mudanças no primeiro dia, como a eliminação de algumas gramas ou conseguir vestir com mais facilidade aquela calça que antes ficava apertada, servem como estímulo para a continuidade do processo.

E isso já foi inclusive evidenciado cientificamente. Um estudo realizado pela Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres acima do peso que conseguiram começar a emagrecer de maneira veloz terminaram obtendo uma perda de peso maior e puderam manter seus ganhos em longo prazo.

4. Ela é prática demais para ser verdade

Quando a dieta te oferece refeições com pratos pré-prontos, em que tudo o que você precisa fazer é esquentar a comida para se alimentar, o que é prático por um lado, por outro não é tão adaptável a certas situações do dia a dia.

Por exemplo, uma confraternização no trabalho ou uma festa de aniversário. Nem sempre é possível – ou muito educado – levar uma marmitinha para o evento enquanto todo mundo come o que é oferecido no local.

Caso você tenha aprendido como controlar as porções, pode até não ter tantos problemas com isso, mas se tiver se acomodado com as refeições já pré-preparadas, corre o risco de se descontrolar e acabar comendo mais do que deve.

Além disso, essa dependência também pode atrapalhar quando você não puder ter acesso a esses pratos e tiver que preparar sozinho a sua refeição. Por isso, ao seguir uma dieta desse tipo é importante aprender como fazer os alimentos que ela indica e fornece.

Há ainda o fato de que toda essa praticidade de ter prontos os pratos que consumirá em poucos minutos certamente diminuirá a quantidade de calorias queimadas em atividades rotineiras do dia a dia, como lavar a louça ou picar vegetais, por exemplo. Pode soar como brincadeira, mas pequenas ações como essa podem queimar 348 calorias ao longo de um dia inteiro.

5. Você não pode comer com seus amigos e família

Quando entramos em uma dieta, inevitavelmente precisamos pensar nas pessoas que fazem parte do nosso convívio e com quem nós costumamos dividir as refeições. Não seria melhor aderir a um método que ensine a controlar as porções do que outro que determina que você não deve almoçar ou jantar fora com os amigos? Se isso é um costume seu, manter-se nessa dieta será bastante difícil.

Vale a pena também tentar encontrar um plano que possa ser integrado à rotina de sua família. Isso porque pode ser muito complicado obedecer a uma dieta super restritiva e continuar dividindo as refeições com seus parentes, enquanto eles saboreiam os alimentos que você não pode e você precisa se contentar apenas com uma saladinha, por exemplo.

6. Ela não te motiva a se exercitar

Por mais que sozinha ela não possa garantir a perda de peso, a prática de exercícios físicos aliada à alimentação é uma boa fórmula para o emagrecimento. 

Mas não é só isso, a atividade física também contribui para prevenir a insônia, melhorar o funcionamento do pulmão, aumentar a energia, fortalecer os ossos, prevenir dores, crônicas e proporcionar a sensação de prazer – por conta da liberação do hormônio endorfina que traz o bem estar.

Ou seja, se a sua dieta não leva em consideração a importância dos exercícios e nem te motiva a praticá-los, pode apostar que das melhoras certamente ela não é.

7. Ela te deixa faminto e mal humorado

Está certo que nunca é fácil seguir uma dieta, mas isso não quer dizer que isso precise ser uma tarefa praticamente impossível. Logo, se a sua parece uma verdadeira tortura e te deixa mal humorado e com fome, talvez seja bom rever o método. 

Isso é sinal de que talvez você não esteja consumindo a quantidade de calorias suficientes para o bom funcionamento do seu organismo, que esteja sentindo falta de carboidratos ou se sentindo privado por não comer um docinho de vez em quando.

O problema de seguir esse tipo de dieta é que quando algo te deixa fora do controle, como uma briga em família ou um dia ruim no trabalho, as emoções podem falar mais alto, você pode acabar descontando tudo na comida e atacando as guloseimas que ver pela frente.

Por isso, é mais vantajoso optar por um método que permita um docinho de vez em quando e não restrinja tanto a ingestão de carboidratos, para não correr o risco de ter uma recaída e comer tudo o que não comeu em um mês em um único dia.

8. Ela não oferece outros benefícios à sua saúde

Uma dieta que te ajude a perder peso parece boa. Mas será que ela realmente é adequada se não oferece outros benefícios à sua saúde, como a diminuição das taxas de colesterol, de açúcar no sangue, da pressão arterial e de sintomas de dores crônicas?

Provavelmente não. Se o plano não contribui para a sua saúde, isso é sinal de que você não emagreceu de maneira saudável e uma hora ou outra o seu organismo poderá reclamar disso.

Isso porque no final das contas uma dieta não é apenas uma questão de diminuição de calorias consumidas. A composição delas também importa. Faz uma grande diferença para a saúde ingerir calorias provenientes de alimentos ricos em sódio ou calorias vindas de vegetais, grãos integrais e proteína magra, por exemplo.

Dieta para Colesterol LDL Alto – Alimentos e Dicas

Quando você tentou atacar a porção de batatas fritas, pediu o sanduíche com bacon ou escolheu no cardápio o fettucine à parisien...